Cresce apoio aos fiscais da ADAB

Cresce apoio aos fiscais da ADAB

Cresce o número daqueles que repudiam a permanência de Paulo César Simões Silva como Diretor-Geral da Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (ADAB). Nas últimas semanas, entidades, além dos deputados estaduais Heber Santana e Eduardo Salles, demonstraram apoio à reivindicação dos fiscais da ADAB de que o cargo máximo da autarquia estadual não pode ser ocupado por alguém sem qualificação técnica para assumir as responsabilidades do posto. Eles ainda pleiteiam o fortalecimento da autarquia através de medidas como realização de concurso público e incremento no orçamento.

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – MAPA

Dirigindo-se diretamente ao Governador Rui Costa, o MAPA, através do Superintendente Federal da Agricultura no Estado da Bahia, Osanah Rodrigues, afirmou que a ADAB passa por um processo de forte desestruturação, e que a fragilização do órgão tem gerado reflexos negativos na “manutenção dos status sanitários nas áreas animal e vegetal”. No texto, o Superintendente ainda afirma que por causa das atividades desempenhadas pela ADAB, órgãos internacionais e o próprio MAPA consideram que critérios técnicos são indispensáveis para a escolha dos profissionais que trabalham na Agência.

União Nacional dos Fiscais Agropecuários – UNAFA     

Francisco Saraiva da Silva Júnior, Presidente da UNAFA, manifestou solidariedade aos servidores da ADAB, e destacou que o governo baiano precisa ser alertado sobre os riscos que uma nomeação política para um cargo técnico pode trazer à saúde pública e à segurança alimentar.

Congregação da Escola de Medicina Veterinária e Zootecnia da UFBA

A Escola de Medicina Veterinária e Zootecnia da UFBA redigiu uma moção de apoio aos técnicos da ADAB. Nela, a Congregação manifestou que as nomeações para toda a Diretoria da ADAB deve seguir critérios de habilidade, competência e graduação em experiência na defesa agropecuária.

Associação dos Médicos Veterinários do Oeste da Bahia

Em Barreiras, a Associação dos Médicos Veterinários do Oeste da Bahia classificou como inconcebível a função e a atuação técnica da ADAB “seja deixada de lado para servir a interesses políticos que irresponsavelmente colocam em risco a sua capacidade operacional, desmotiva e desmoraliza seu corpo técnico e restringe sua capacidade e competência de ação. 

Conselho Regional de Engenharia e Agronomia da Bahia – Crea-BA

Em ofício encaminhado diretamente ao governador Rui Costa, o Crea da Bahia destacou que o setor agropecuário representa 23% do PIB estadual, e que a Bahia tem importância nacional nesta área da economia. No entanto, o Conselho denunciou a desestruturação que a ADAB vem sofrendo, com a redução de 52,7% do seu quadro funcional, além da diminuição de recursos custeio e investimento, o que traz prejuízos para a agricultura familiar, produtores e agroindústrias do estado. O Crea afirmou que a situação se agrava “na medida em que pessoas leigas, com total desconhecimento técnico-científico e capacidade de enfrentamento de episódios zoofitossanitários, são nomeadas para direção do órgão e cargos de coordenação e gerência técnica, observando apenas critérios políticos”.

Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado da Bahia – CRMV-BA

O CRMV-BA também se dirigiu diretamente ao governador em documento em que pede a recuperação da força de trabalho da ADAB mediante concurso público, garantia e destinação de recursos financeiros compatíveis com as importantes atribuições do órgão, e a adoção de critérios de conhecimento técnico-científico para a ocupação dos cargos técnicos de direção, coordenação e gerência da Agência. 

Faculdade de Ciências Agrárias e da Saúde da UNIME

A coordenação do Curso de Medicina Veterinária da UNIME encaminhou ofício ao chefe do executivo baiano em que reconhece que a ADAB é historicamente reconhecida por fomentar e garantir a saúde animal e humana no desempenho da Inspeção de Produtos de Origem Animal e na Defesa Sanitária. No texto, a instituição de ensino defende que estes campos são de atuação exclusiva de médicos veterinários e afins, e que é imperativo que os cargos de diretoria sejam ocupados por profissionais que tenham as aptidões técnicas necessárias para garantir a qualidade dos produtos e a saúde dos rebanhos da Bahia.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.


*